Contatos

       

    Grupo SABER promove evento “SABER na melhor idade”

    Saber na Maior idade

    Na manhã do dia 26 de março (quinta-feira), o Centro de Convenções da UFPE recebeu a visita de um grupo de senhoras simpáticas e cheias de energia. Trata-se da segunda edição do evento “SABER na melhor idade”, um aulão de ginástica funcional promovido pelo grupo de pesquisas SABER, vinculado à Universidade Federal de Pernambuco, sob o comando do Professor Carmelo Pina.O grupo SABER, coordenado pela Professora Cristine Gusmão, trabalha atualmente no desenvolvimento de uma cartilha digital que auxiliará os idosos na prática de exercícios físicos.

    Cristine explica a importância da aproximação dos alunos pesquisadores com os idosos, futuros usuários da cartilha: “Quando a gente fala em extensão, a gente promove uma inserção maior dos nossos alunos em situações reais do dia-a-dia, que oportuniza, para eles identificar como a teoria pode ser aplicada à realidade social.

    Essa transposição do saber é muito positiva e eu fico feliz pela UFPE estar focando nessas políticas extensionistas”. Na primeira edição do evento, que aconteceu em novembro de 2014, os pesquisadores do SABER tiveram a oportunidade de levantar os primeiros dados para a elaboração da cartilha. As idosas foram questionadas sobre aspectos que facilitam ou dificultam a leitura, por exemplo. Já nesse segundo encontro, foi apresentado um protótipo da cartilha e as senhoras puderam dar seu primeiro feedback. “O projeto está na etapa de validação de protótipo inicial. A partir das informações que vamos colher hoje, partiremos para a próxima etapa, que é a construção da primeira versão da cartilha”, esclarece Júlio Venâncio, pesquisador do SABER.

    Professor Carmelo, educador físico e pesquisador do SABER, trabalha com esse grupo de senhoras há mais de 15 anos e julga positiva a aproximação do grupo de pesquisa com os idosos para o desenvolvimento da cartilha. “Não adianta dissociar. Nós temos uma base teórica muito boa para a elaboração da cartilha, mas precisamos saber commo elas vão receber na prática. Simplificamos ao máximo para que elas entendam e aproveitem a cartilha, que é feita para elas, para que elas entendam qual a importância da atividade física organizada e orientada, visando realmente uma saúde melhor”, afirma Carmelo.

    Para Jacira, que participou do primeiro evento e não perdeu a oportunidade voltar nesse segundo, a cartilha já está no ponto: ” O material está muito bom e as letras e as cores estão de fácil visualização e leitura. Para idosos, está ideal. Aprovadíssimo”.

    Além do aulão e das pesquisas, o evento foi um momento de confraternização entre o grupo. Visivelmente, um momento de alegria e diversão. Quem estava presente não reclamou. Dia de confraternização, aprendizagem e grande experiência, tanto para as idosas quanto para os pesquisadores do grupo SABER.