Pular para o conteúdo
Início » Saber Tecnologias » Redação ENEM Nota 1000 Sobre Felicidade

Redação ENEM Nota 1000 Sobre Felicidade

Felicidade-2
Compartilhe:

Felicidade: Uma Busca Perene da Humanidade

A felicidade, ao longo da história, tem sido tema central de inúmeros tratados filosóficos, poéticos e científicos. De Epicuro a Freud, da poesia lírica ao pop, a busca pelo contentamento e bem-estar permeia o imaginário coletivo como uma das finalidades máximas da existência humana. Entretanto, o conceito de felicidade é fluído, mutável e, acima de tudo, subjetivo. Em uma sociedade cada vez mais complexa e acelerada, como o Brasil do século XXI, é pertinente refletir: o que é felicidade e quais são os caminhos para alcançá-la?

Em primeiro lugar, é importante ressaltar que a concepção de felicidade sofreu transformações ao longo do tempo. Na Grécia Antiga, a “eudaimonia” aristotélica referia-se a um viver de acordo com a virtude, uma espécie de bem-estar e realização pessoal. Já na modernidade, com o advento do capitalismo e do consumismo, a felicidade passa, muitas vezes, a ser associada à posse e ao acúmulo de bens materiais. Nesse cenário, a publicidade exerce papel crucial, vendendo não apenas produtos, mas a promessa de contentamento e pertencimento.

Felicidade

Além disso, a era digital trouxe novos desafios para a percepção da felicidade. A cultura das redes sociais, onde momentos são frequentemente idealizados, gera uma constante comparação social. O resultado disso é que muitos indivíduos podem se sentir pressionados a exibir uma vida perfeita, o que, paradoxalmente, pode gerar insatisfação e ansiedade. A felicidade, nesse contexto, torna-se uma meta quase inalcançável, constantemente postergada para um futuro idealizado.

Por outro lado, estudos recentes de psicologia positiva têm apontado que a gratidão, o altruísmo e o estabelecimento de relações significativas são caminhos promissores para o bem-estar genuíno. Isso sugere que, apesar das pressões sociais e culturais, o ser humano possui a capacidade intrínseca de reconhecer e valorizar os aspectos simples e profundos da vida.

Em conclusão, a felicidade, embora subjetiva e multifacetada, continua a ser um norte para a humanidade. É fundamental que, em meio a uma sociedade repleta de estímulos e expectativas, cada indivíduo possa refletir sobre suas próprias necessidades e aspirações, reconhecendo que a verdadeira felicidade pode residir nos detalhes e conexões que muitas vezes são negligenciados. Talvez, então, a busca pela felicidade seja menos sobre alcançar um estado constante de euforia e mais sobre apreciar a jornada, com seus altos e baixos, e as lições que ela traz.

O que você achou disso?

Clique nas estrelas

Média da classificação 4.3 / 5. Número de votos: 6

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *